O que é se amar?

Penso que tudo que se refere ao amor, pressupõe o bem, o bom, o belo. Não podemos aceitar coisas ruins e dolorosas em nome do amor. Sofrer por amor não é vantagem nenhuma, embora a mídia tente nos convencer dia após dia que sofrimentos sentimentais são algo bonito e digno. Não caia nessa. Amor bom é amor equilibrado.
Quando o amor diz respeito à nossa pessoa, ou seja, quando o assunto é se amar, é preponderante que levemos a assertiva acima quase como uma lei. Se amar é sairmos fora de toda e qualquer possibilidade destrutiva com a qual possamos estar envolvidos. E ao contrário, é fazermos todo o bem possível à nós mesmos. Pode parecer uma atitude hedonista e narcísica, mas não é. Somente teremos plenas condições de amar aos outros depois que estivermos fortalecidos, amando o nosso próprio ser e aceitando nossa existência do jeito que nos foi concedida.
Me parece que a melhor forma de se amar é entendermos o termo “amor” através do termo “cuidados”. Se amar é se cuidar. Se amar é se cultivar. Assim como quando você cultiva uma planta, e assegura que ela terá um solo adequado, um lugar iluminado, que será regada com constância e ainda, será podada de acordo com a necessidade (deixe que a vida cuida dessa parte), também assim devemos encarar a nós mesmos – como uma planta que deve ser cuidadosamente cultivada.
Se amar é se cuidar. É manter a higiene sempre em dia. É vestir-se bem e adequadamente. Cuidar de sua aparência. Consumir produtos de qualidade. Andar com pessoas de qualidade. Frequentar eventos de qualidade. Se entreter com temas nobres e elevados. É pronunciar palavras educadas, e antes disso, se amar é educar-se conscientemente, frequentando cursos, palestras, lendo bons livros, assistindo a filmes de bom gosto, ouvindo músicas de bom gosto. Se amar é ser magnânimo com nossos erros nos entendendo como seres em constante evolução, que constroem-se a si mesmos. Errar é o degrau humano para o progredir divino. E para isso precisamos nos conceder alguns desafios e aventuras, para sentirmos a vida pulsando em nosso peito em toda a sua plenitude. O caminho é esse!


O Verdadeiro Poder

“Era uma vez um guerreiro, famoso por sua invencibilidade na guerra. Era um homem extremamente cruel e, por isso, temido por todos. Quando ele se aproximava de uma aldeia, os moradores saiam correndo para as montanhas, onde se escondiam do malvado guerreiro. Subjugou muitas aldeias.
Certo dia, alguém viu ele se aproximar com seu exército de uma pequena aldeia, onde viviam alguns agricultores e entre eles um velhinho, muito sábio.
Quando o pessoal escutou a terrível notícia da aproximação do guerreiro, tratou de juntar o que podia e fugir rapidamente para as montanhas. Só o velhinho ficou para trás. Ele já não podia fugir. O guerreiro entrou na aldeia e foi cruel, incendiando as casas e matando alguns animais soltos pelas ruas.
Até que chegou na casa do velhinho. O velhinho, quando o viu se assustou. E sem piedade, foi dizendo ao velhinho que seus dias haviam chegado ao fim. Mas, que lhe concederia um último desejo, antes de passá-lo pelo fio de sua espada. O velhinho pensou um pouco e pediu que o guerreiro fosse com ele até o bosque e ali lhe cortasse um galho de uma árvore. O guerreiro achou aquilo uma besteira. –‘Esse velho deve estar gagá. Que último desejo mais besta.’
Mas, se esse era o último desejo do velhinho, havia que atendê-lo. E lá foi o guerreiro até o bosque e com um golpe de sua espada, cortou um galho de uma árvore.-‘ Muito bem’ disse o velhinho.
-‘O senhor cortou o galho da árvore. Agora, por favor, coloque esse galho na árvore outra vez.’ O guerreiro deu uma grande gargalhada, dizendo que esse velho deve estar louco, pois todo mundo sabe que isso já não é mais possível, colocar o galho cortado na árvore outra vez. O velhinho então lhe respondeu:
- ‘Louco é você que pensa que tem poder só porque destrói as coisas e mata as pessoas que encontra pela frente. Quem só sabe destruir e matar, esse não tem poder. Poder tem aquela pessoa que sabe juntar, que sabe unir o que foi separado, que faz reviver o que parece morto. Essa pessoa tem verdadeiro poder".
“Essa música é sobre suicídio. Ela é muito, muito séria. Me desgasta pra caralho quando a gente toca, e as pessoas não percebem. É sobre uma menina que tem problemas com os pais. Ela se jogou da janela do quinto andar e não existe amanhã. (…) Eu não aguentaria ouvi-la duas vezes seguidas. Eu gostaria, então, que as pessoas prestassem atenção na letra e vissem que é uma coisa muito forte.”
Renato Russo sobre “Pais e Filhos”.  

“Já é madruga e está tão tarde. Quer dizer, ainda é cedo. Ainda da tempo, ainda existe alguém aqui (eu) disposto a te ouvir. É cedo pra você lembrar de mim, pra você pegar o telefone e me ligar ou apenas me mandar uma mensagem de texto com uma simples carinha. É cedo pra você voltar dizendo que ainda me quer. Pra você nunca é tarde. Meu coração bate devagar só pra você alcançar o relógio e vir me ver.”

A gente vive buscando garantias. Queremos que dê certo, queremos fazer dar certo, lutamos para colocar tudo nos trilhos, nos eixos. Mas a vida segue seu ritmo. Os sentimentos têm seus próprios passos de dança. E de vez em quando somos obrigadas a ensaiar um novo passo. Nem sempre dura. Nem sempre é eterno. Nem sempre é como um sonho bom. E precisamos lidar com isso. Nem que seja na marra. Nem que tenha que engolir o choro e de vez em quando forçar um ou outro sorriso.

Eu gosto mesmo é de pessoas despreocupadas, aquelas que não precisam olhar para o relógio o tempo todo, que sentam no sofá e começam a rir dos filmes, e passam horas e mais horas no telefone com um amigo, mas, sabem aproveitar os poucos minutos que um encontro casual reserva para compartilhar coisas boas, essas pessoas que não se importam com que roupa irão vestir para ir até o supermercado, que não dão a mínima se o verde combina com o verão, ou se o cabelo esta desarrumado. Gosto dessas pessoas que tem paixões incomuns, gente que se apaixona por livros, paisagens, pela vida, que sempre acredita que existem outros dias, outras pessoas, mas, que nunca se esqueceram de valorizar as que estão com elas. Eu gosto das pessoas que saem de casa quando começa a chover, e que se levantam cedo para não perder nenhum minuto a mais da vida, pessoas que sorriem para estranhos na rua, mas, que não fazem questão de chorar na frente deles também, essas pessoas que não tem vergonha de dançar em público, e não tem medo de falarem a verdade. Mas, acima de tudo, eu gosto das pessoas que surpreendem, que acreditam em tudo, que perdoam, que amam demais, simples, das loucas, principalmente dessas pessoas, esse tipo de gente, tem cheiro de felicidade.

Você pode conhecer vinte caras bonitos e que te entendem muito bem, dez caras legais que cuidam de você como se fosse um diamante precioso, uns outros tantos inteligentes, atraentes, bacanas e engraçados em ordem aleatória. Nenhum deles te encanta. Por que? Falta o tão chamado click, aquele jeito especial que ninguém explica. Pode ser o jeito de mexer no cabelo, a forma como ele te olha, que conversa contigo ou até mesmo um jeito secreto que nem o profeta mais sábio percebe, mas que está lá, você pode ver. Entre tantos milhares, talvez um ou outro se salve ao filtro do “jeito”, e daí você percebe: é esse que eu quero abraçar e não largar mais, com quem eu quero me enrolar embaixo de cobertores e com quem eu quero dividir todos meus segredos. Baseado no quê? Num jeito inexplicável ao resto do mundo.
 Martha Medeiros
Não durmo cedo. Pode chamar, ligar, aparecer na janela: eu vou estar de olhos bem abertos. Pode me convidar para andar, conversar, olhar as estrelas ou ficar em silêncio. Pode me questionar, tirar para dançar, ler uma poesia ou pedir um carinho. Sou do tipo que considera a noite muito mais bonita. Sou, entre tantos tipos, daqueles que pouco dormem e muito sonham. Eu tenho encantos eternos pelos mistérios da noite. E o escuro também me abre visões.

Chorar é lindo, pois cada lágrima na face são palavras ditas de um sentimento calado. Pessoas que mais amamos, são as que mais magoamos porque queremos que sejam perfeitas, e esquecemos que são apenas seres humanos. Nunca diga que esqueceu alguma pessoa, ou um amor. Diga apenas que consegue falar neles sem chorar, porque qualquer amor por mais simples que seja, será sempre inesquecível.
— Mario Quintana.
Começar o dia bem e terminar com um “sabia que ia dar nisso”. Ex não foi feito pra ser amigo, sabe. Vai lá, pode me odiar. Mas se for pra odiar, me odeie com força, com raiva, com vontade, escreva textos me culpando por tudo, esqueça todos os momentos bons, esqueça meus sorrisos e todas as vezes que te fiz feliz. Qual a diferença que isso faz agora? Nenhuma. A dona da verdade não pode ser contrariada, a dona da verdade não pode sair por baixo no termino de um relacionamento, não é mesmo? Eu achava que você fosse diferente, que você fosse única, mas você só me mostrou o quão comum você é. A única coisa que muda é seu exterior, porque seu interior é pobre, fútil e imaturo. Você não me escutou, você nunca me escutou. Achou que era boa demais pra que fosse esquecida, bem, não era.

Eu realmente não consigo idealizar alguém apaixonado por mim. Eu não consigo imaginar alguém pensando em mim antes de ir dormir, ou contando para os seus amigos sobre mim com um belo sorriso bobo. Eu não consigo imaginar ninguém nas nuvens porque eu disse um “oi” ou qualquer coisa assim. Não consigo imaginar alguém sorrindo para a tela do computador quando a gente está conversando. Sei lá, só não consigo.

Fique


"Expus o que sentia a você, sua reposta não foi como eu esperava 
Seu silêncio mortal me torturou quase me levando a beira do abismo 
Uma febre tomou conta de mim e quase esse seria o meu fim. 
Joguei minhas mãos para o alto, eu disse 'mostre-me algo'
Você disse, 'se você se atreve, chegue mais perto'
Por ai nós fomos, diga-me, diga-me 
Não tenho muita certeza de como me sinto agora
Algo no seu jeito me diz que não posso viver sem você, isso me leva a loucura vem ser minha cura
Te peço que fique ao meu lado
Motivo pelo qual mantenho-me firme 
Engraçado, tempos atrás eras tu que precisavas de conforto, hoje sou eu 
A única que precisa ser salva
Quando tudo escuro está não sabemos se desabados estamos 
Pois não consigo ver a luz na imensidão 
Não tenho muita certeza de como me sinto agora
Algo no seu jeito me diz que não posso viver sem você, isso me leva a loucura vem ser minha cura
Te peço que fique ao meu lado. "
A madrugada foi feita para se tomar bons cafés de meia em meia hora, ouvir músicas melancólicas e pensar na vida... A nossa, e a de quem gostamos. Quando o Sol finalmente esfriar, tudo que teremos é uma madrugada eterna, mas e nós? Será que o remédio para a imortalidade seja se curar da morte? Já nascemos com essa doença, que teimosia boba essa nossa em morrer. 
As últimas folhas já caíram, os dias nublados estão cada vez mais raros, o Outono está passando... E tudo isso vai passar.

Sempre estive ao seu lado

Eu sempre estive ao seu lado em todos os momentos. Já você comigo nunca esteve. Me enganei todo esse tempo achando que me fazia companhia quando na verdade tu nunca estava próximo de mim. Dizia estar ocupado todo instante, desculpa inventada somente para não vir falar comigo.
Finges bem, deveria fazer teatro esse curso lhe cai bem e tu serias um excelente ator. Vou tocando minha vida sem te, ignorando sua existência que assombra a minha vida. Irei te rasgar do meu coração e apagar-te de minha infeliz memória. Quando isso acontecer voltarei a ver a luz, por enquanto só vejo a escuridão. Não te preocupas, eu já cair na real e sei que tu nunca gostou de mim apenas me tolerava. És um falso! Tudo bem, o que tu fazes nessa terra voltará na mesma intensidade. Tenho consciência limpa, pois muito te amei e tudo fiz a te , mas nunca me valorizou então perdeu!
Quando acordar desse teu mundo irá se arrepender e será tarde demais querido. Estarei em outra dimensão num novo lugar com novas pessoas. Você entrou na minha vida para servir de lição apenas isso, nada mais! 

“E te contar de todo amor que neguei por medo do futuro, dos parentes, dos amigos, e de toda a angústia que engoli porque minha boca era pequena demais pra gritar coisas muito grandes. Te dizer sobre os dias inúteis e parados em que você era o completo pensamento, sobre sua nuca distante, sua barriga, seus braços, sobre minha pele procurando a sua pele, porque essas coisas são tão incontroláveis que nem espaço ou tempo alteram. Te contar do medo que eu sentia de me afundar num mar de lágrimas que se formaria, outro dia, mais um dia, ao redor da minha cama, caso eu não tivesse tido aquele sonho, em que você vinha num dia de domingo com várias sacolas nas mãos, com vários livros dentro das sacolas, com várias histórias dentro dos livros, com qualquer desculpa muito ridícula pra eu ficar nervoso ao invés de rir. Te dizer do sabor, do gosto, que eu senti muitas vezes, que eu dormi pra tentar eternizar na boca que era completamente muda. Do sabor de uma noite que havia sido muito boa, tanta coisa pra guardar, enquanto o dia tinha vindo muito rápido e não havíamos tido sequer tempo de dizer: fique bem, por favor, fique bem. Sou meio fraco, te dizer desses segredos que são mais de liquidificador que os da música do caju. Fraco feito uma nuvem, uma coisa que vai reta, uma formiga ínfima, uma criança, uma coisa bonita, um dia, um riso, uma nota muito alta, o show dum cantor que se gosta, fraco no sentindo mais exato da palavra fraqueza: fraco em ser forte com coragem.­­ 
­
“E eu estou chorando agora, mas principalmente de raiva por a gente ter que mendigar carinho pra se sentir uma boa pessoa. Se ninguém nos telefona, se ninguém vem à nossa casa, se ninguém aceita o nosso jeito, parece que a gente não existe, parece que as coisas deram errado, e não deram. Sou uma pessoa bacana, forte, generosa, não deveria precisar que ninguém me aplaudisse, mas a gente precisa dos outros, precisa que eles demonstrem que nos admiram, mesmo que estejam fingindo.”


“Vocês terminaram o namoro. No dia seguinte, tu vai ao médico e, bingo, qual o nome dele? João. Tá andando na rua e escuta alguém gritando “Joãoooooo”. Na fila do supermercado, João. João. João. Parece que todo mundo resolveu ter o mesmo nome do ex. Nossa, nunca vi tantos carros verde esmeralda, do mesmo modelo que o dele! De hora em hora toca a nossa música no rádio. Parece até conspiração, certo? Errado. Tudo depende do nosso ponto de vista. Se olharmos com cara feia pra vida, ela vai nos retribuir da mesma forma. Vai nos dar o troco. Não existe conspiração internacional. João? Tem muitos. Carros verde esmeralda? Diversos. A música toca a todo instante? Sim. É que tu nunca tinha percebido isso… até ficar sem o João. Se o problemão no trabalho te afetou, com certeza vais ficar mais sensível… Isso faz com que veja tudo sob outro prisma. Se achar que está tudo ruim, tudo ficará ruim mesmo.”

“Talvez eu já não demonstre mais o que você significa pra mim, talvez eu já não demonstre o quanto sinto sua falta. Talvez por ter cansado de tentar tanto e não ter chegado a lugar nenhum. Eu mudei minhas atitudes, mas não meus sentimentos.”

“Eu não tenho paciência para esperar o meu grande amor chegar, não perco meu tempo observando a vida pela janela, eu participo, eu sou ela.”

“Sensível pra cacete, maldosa na mesma intensidade, feliz de andar cantando e depressiva de nunca achar que uma janela é só uma janela. E cheia de manias bem estranhas… Eu sou sim a pessoa que some, que surta, que vai embora, que aparece do nada, que fica porque quer, que odeia a falta de oxigênio das obrigações, que encurta uma conversa besta, que estende um bom drama, que diz o que ninguém espera e salva uma noite, que estraga uma semana só pelo prazer de ser má e tirar as correntes da cobrança do meu peito. Que acha todo mundo meio feio, meio bobo, meio burro, meio perdido, meio sem alma, meio de plástico, meia bomba. E espera impaciente ser salva por uma metade meio interessante que me tire finalmente essa sensação de perna manca quando ando sozinha por aí, maldizendo a tudo e a todos. Eu só queria ser legal, ser boa, ser leve. Mas dá realmente pra ser assim?”
Tati Bernardi.

“Não conheço uma pessoa que não goste de acordar com um bilhete, um carinho, um café na cama, um beijo, um abraço, um telefonema “dormiu bem?”, um sorriso, um chamego. Não conheço uma única alma que nunca pensou em ter alguém para ligar no meio da tarde só para dizer que estava com saudade. Aposto que você, você que diz não ser romântico, se emociona quando vê uma cena de amor no cinema. Sei que você gosta que te façam mimo quando você adoece. Sei que você gosta de ouvir como é importante para alguém. Sei que você gosta de florzinhas na mesa na hora do jantar, sei que você gosta de dançar coladinho, sei que você fica feliz ao receber um cd gravado com músicas exclusivas. Músicas exclusivas que alguém exclusivo gravou para você simplesmente pelo fato de você ser exclusivo.”
Clarissa Corrêa.

“Tem coisas que não mudam no final do ano: alguém diz que passou voando, alguns fazem promessas, outros ganham presente e eu fico pensando nas pessoas que fazem falta. Fim de ano me dá uma nostalgia, a saudade triplica.”

“Se você tiver que chorar, chore como as crianças. Você já foi criança um dia, e uma das primeiras coisas que aprendeu em sua vida foi chorar; porque faz parte da vida. Jamais esqueça que você é livre, e que demonstrar emoções não é vergonha.”
Paulo Coelho.

“Meu silencio grita, meu olhar entrega, mas ninguém percebe.”
Renato Russo

Não importa o que o mundo diz. 
Gente bonita é gente feliz.
Como vocês conseguem " amar " as pessoas tão rápido assim ? E da mesma maneira esquecer elas em dois dias ? Me ensinem.

Carta para Deus

Querido Deus, tenho andado tão cansada, tão triste, não magoada. Mais Hoje quero te pedi Perdão, pois infelizmente por alguns momentos eu “esqueci” que o Senhor sempre esteve aqui do meu lado, me abraçando, cuidando de mim, enxugando minhas lágrimas, ouvindo meu clamor, me acalmando e me Amando mais e mais, mesmo sem merecer. Perdão Senhor por ser tão fraca, por ter tantas falhas, por ser tão frágil, por ser tão insensível, por não ser aquilo que o senhor quer que eu seja. Mais a partir de hoje, prometo em ser Forte, e lutar contra mim mesma, Porque eu TE AMO e sem Ti não consigo. Obrigada meu Querido Papai.

Procura-se um amigo.

Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração. Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir. Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor… Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar. Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo. Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários. Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer. Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância. Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim. Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.
— Carlos Drummond de Andrade.
É bonito, não? Duas pessoas se sentirem, se saberem, se precisarem, se amarem, os dois na mesma intensidade.

Agora, que faço eu da vida sem você? Você não me ensinou a te esquecer você só me ensinou a te querer e te querendo eu vou tentando te encontrar, vou me perdendo buscando em outros braços seus abraços perdido no vazio de outros passos do abismo em que você se retirou e me atirou e me deixou aqui sozinho.
— Caetano Veloso.  
Não tenho me identificado muito com ninguém. Mas tudo bem. Levei um tempo até entender que pode ser muito libertador não se sentir parte de nada. E tu sabe como sou, dramatizo para dar às coisas a importância que originalmente elas não têm.

Eu gosto dela e ela já gostou de mim, a gente só não é bom em gostar ao mesmo tempo. Isso só aconteceu uma vez e foi sem querer.

Você me tem. É isso o que eu estou tentando dizer a horas! Você-me-tem, escutou? O problema é que a faca e o queijo estão na sua mão, mas você guarda na geladeira.

Eu te desejo não parar tão cedo, pois toda idade tem prazer e medo. E com os que erram feio e bastante, que você consiga ser tolerante. Quando você ficar triste, que seja por um dia e não o ano inteiro. E que você descubra que rir é bom, mas que rir de tudo é desespero. Desejo que você tenha a quem amar e quando estiver bem cansado. Ainda exista amor pra recomeçar.
— Barão Vermelho. 
Tem coisa que não volta, por mais que a gente queira. Você pode até tentar voltar o disco, repetir a música, insistir na letra, cantar o mesmo refrão por mil e um minutos, fechar os olhos. Tem sentimento que não volta. Mesmo que você se esforce, recorde, tente voltar a página, refrescar o coração. Alguns sentimentos são bem pontuais: chegam, esperam pra ver se devem ficar e decidem partir ou continuar.
— Tati Bernardi.   
Muita gente morreu sem saber o que é estar vivo.
O meu vizinho do lado 
Se matou de solidão 
Ligou o gás, o coitado 
Último gás do bujão 
Porque ninguém o queria 
Ninguém lhe dava atenção 
Porque ninguém mais lhe abria 
As portas do coração 
Levou com ele seu louro 
E um gato de estimação 
Há tanta gente sozinha 
Que a gente mal adivinha 
Gente sem vez para amar 
Gente sem mão para dar 
Gente que basta um olhar 
Quase nada 
Gente com os olhos no chão 
Sempre pedindo perdão 
Gente que a gente não vê 
Porque é quase nada.
— Vinícius de Moraes. 
Por favor, espalhe amor, porque de dor e sofrimento, o mundo já está cheio.

Vocês não têm a mínima ideia do que um pequeno ato pode fazer na vida das pessoas.

Eu sei que não sei fazer cafuné direito, eu sei que tô sempre com o cabelo desarrumado, só atraio confusão e não costumo escolher as melhores roupas. Eu sei que as vezes eu erro, tenho minhas crises existenciais e aquele medo exagerado de perder. Eu sei que de vez em quando eu colo em você, que quando brigo sou criança. Eu sei que minhas piadas não são lá tão engraçadas, que meu humor não é sempre dos melhores e que meu jeito é todo desajeitado. Eu sei que sou torto, do avesso e as vezes idiota pra caralho. Mas por favor, não desiste de mim não. A gente combina, pode acreditar. Vai dar certo. Tem de ter, pelo menos, um motivo pros meus dedos encaixarem tanto nos teus. Agora, pelo menos dessa vez, eu vou fazer com que dê tudo certo. Confia em mim. Mas por favor, não desiste desse meu jeito desajeitado de ser.
— Lorena Paz
Conta tudo pra Deus. Ele sabe guardar segredo.

Defina amor:

Abstrato. Não se toca, não se vê, só… se sente.
Não coloque tantas expectativas em tudo que faço, sou um mar de decepções.
Madrugada, o horário oficial da saudade dos momentos incríveis que nunca mais voltarão. Aquela lágrima que você não conseguiu derramar o dia inteiro veio cair agora, lentamente sobre o rosto, sem nenhuma permissão.
Eu não sei se choro, se sumo ou se finjo que estou bem.
— Renato Russo. 
Eu não desisti, só coloquei na mão de Deus.

Já repararam que o amor normalmente não vêm no frasco que queremos?

Ou que esperamos? Quantas pessoas namoraram loiras de olhos claros e casaram com morenas ou vice versa? Porque o cara troca a morena linda pela tímida ruivinha? E aquela linda, que troca o saradão malhado pelo pequeno e tímido? Eu respondo, conteúdo. Não somos apenas frascos, somos conteúdo. Quantos casais vocês conhecem que não se falavam, se odiavam, não se toleravam mesmo… antipatia pura. E que hoje, são casadinhos e andam de mãos dadas, se tratam por apelidos, erguem famílias lindas e felizes. Essas pessoas trocaram os frascos pelo conteúdo. Quando somos jovens imaginamos a mulher (ou o homem) perfeito. Idealizamos uma alma gêmea perfeita. Que atenderá todos os nossos desejos e sonhos. Algumas pessoas realmente encontram os seus “pares” idealizados. só pra descobrir que não era aquilo tudo. As mulheres sonham com o dia que cruzarão com o homem perfeito, aquele príncipe que as levarão para viver em seu castelo cor de rosa. Mas aí, tudo muda quando o homem conhece aquela mulher que é legal, que o compreende, cheirosa, com um sorriso lindo. E a mulher? Quem nunca esteve com aquele carinha que não aparentava muita coisa, “descombinante” mesmo, e se arrepiou toda com um simples toque na pele? O amor não reconhece frascos, o amor quer conteúdo. Aquela mulher com aquele sorriso de fazer o Sol sair por detrás das nuvens. Aquele cara que cuida, mima e dá colo. Que arrepia só no toque. Aquela mulher que não sai da sua cabeça. Aquele cara de quem você se lembra quando acorda de um sonho ruim. Aquela mulher que você quer ouvir. Aquele homem com que você quer falar. Que se danem os príncipes e as princesas. Que venham as pessoas reais, aquelas que se doam. Que sofrem, que choram por um amor. Aquelas que abraçam travesseiros e suspiram. Que têm milhares de defeitos mas o que conta mesmo é “aquela” qualidade que te fez apaixonar. Achar essas pessoas não é tão difícil, a gente as reconhece logo de cara. O problema é que às vezes a gente pensa demais e complica as coisas.”
Amar é como andar de ônibus. Sem uns solavancos de vez em quando, você acaba dormindo todo o percurso e perde as partes bonitas da viagem.
Alguns amores foram feitos para existir, e não para acontecer.

A vida é cheia de segredos. Não se pode aprender todos de uma vez só
“Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir. Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.”

Se eu perdoaria uma traição?

 Claro! Meu coração é nobre e sempre há perdão nele. Eu diria: “Amor, eu te perdoo”. Depois juntaria minhas coisas e nunca mais apareceria, mas eu perdoei, tá? Acho que não existe nada pior do que uma traição. Se dedicar, se entregar, amar a alguém e esse alguém te trair. “A carne é fraca”, justifica. A carne é fraca, mas eu sou forte e não mereço alguém assim do meu lado. Tudo bem que há os modernos que vivem em relacionamentos abertos. Se eu acredito em relacionamento aberto? Acredito! Relacionamento aberto, aberto ao fracasso, aberto ao fim, aberto a mágoa, aberto a toda falta de reciprocidade e dignidade sentimental que se possa imaginar. Afinal, o que é mesmo amar? É escolher uma pessoa entre milhões de especies disponíveis no mundo e elegê-la ao cargo máximo de estar única e exclusivamente ao seu lado. Se é pra ficar comigo e com mais todo mundo que aparecer na reta, eu prefiro ficar só! Em uma traição não importam os motivos de quem traiu, mas a dor de quem foi traído. Se traiu porque sentiu-se atraído, sinto muito, mas eu não sabia que estava namorando um imã que atrai tudo e todos, portanto, controle-se! Se traiu porque passou a gostar de outra pessoa, lamento, mas você não é nenhum líder religioso que é obrigado a amar a humanidade e, se fosse, isso excluiria o contato sexual. Traição não é oportunidade, nem escolha, é caráter “Caráter é uma linha reta, não faz curvas”. E se você gosta de andar em círculos, ande sozinho. Faça um exercício: toda vez que sentir vontade de trair, lave uma privada, pra você lembrar que toda traição termina assim: em merda. E no amor não basta apenas dar a descarga! A questão não é ter tudo, é escolher alguém e fazer dar certo. E se você não está disposto a ficar com uma pessoa só, sinto muito te informar, mas o seu destino é morrer sozinho.”

“Tem palavras que, mesmo depois de pronunciadas, ecoam pelos restos de nossas vidas. Elas costumam serem maiores que qualquer gestos que neguem outras intenções. Tem erros que são irreparáveis e que repercutem no tempo e tornam irreversível a mágoa causada. Tem dores que não latejam, mas que podemos sentir no silêncio das portas fechadas.”

Escapou ali um beijo na orelha

“Escapou ali um beijo na orelha e uma mão que quis esquentar a outra. Mas a gente correu pra fazer piadinha sexual disso, como sempre. E você olhou do corredor e me perguntou: não to esquecendo nada? E eu quis gritar: tá, tá esquecendo de mim. E você depois perguntou: não tem nada meu aí? E eu quis gritar: tem, tem eu. Eu sempre fui sua. Eu já era sua antes mesmo de saber que você um dia não ia me querer. Mas a gente combinou que não era amor. É o que está no contrato. E eu assino embaixo. Melhor assim. Tô super bem com tudo isso. Nossa, nunca estive melhor. Mas não faz isso. Não faz o mundo inteiro brilhar mais porque você é bobo.Não faz o mundo inteiro ficar pequeno só porque o seu jeito é o melhor. Não deixa eu assim, deslizando pelas paredes do chuveiro de tanto rir porque sua voz fica ridícula brava. Não transforma assim o mundo em um lugar mais fácil e melhor de se viver. Não faz eu ser assim tão absurdamente feliz só porque eu tenho certeza absoluta que nenhum segundo ao seu lado é por acaso. Combinamos que não era amor e realmente não é. Mas esse algo que é, é realmente muito libertador. Porque quando você está aqui, ou até mesmo na sua ausência, o resto todo vira uma grande comédia. E eu tenho vontade de ligar pra todos os outros e falar: putz, cara, e você acha mesmo que eu gostei de você? Coitado. Adoro como o mundo fica coitado, fica quase, fica de mentira, quando não é você. Porque esses coitados todos só serviram pra me lembrar o quão sagrado é ser absurdamente feliz mesmo sabendo a dor que vem depois. O quão sagrado é ver pureza em tudo o que você faz, ainda que você faça tudo sendo um grande safado. O quão sagrado é abrir mão de evoluir só porque andar pra trás é poder cruzar com você de novo. Não é amor não. É mais que isso, é mais que amor. Porque pra te amar mais, eu tenho que te amar menos. Porque pra morrer de amor por você, eu tive que não morrer. Porque pra ter você por perto, eu tive que não querer mais ter você por perto pra sempre. E eu soquei meu coração até ele diminuir. Só pra você nunca se assustar com o tamanho. E eu tive que me fantasiar de puta, só pra ter você aqui dentro sem medo. Medo de destruir mais uma vez esse amor tão santo, tão virgem. E eu vou continuar me fantasiando de não amor, só pra você poder me vestir e sair por aí com sua casca de não amor. E eu vou rir quando você me contar das suas meninas, e eu vou continuar dizendo “bonito carro, boa balada, boa ideia, bonita cor, bonito sapato”. E eu vou continuar sendo só daqui pra fora. Porque no nosso contrato, tomamos cuidado em escrever com letras maiúsculas: não existe ninguém aqui dentro. Mas quando, de vez em quando, o seu ninguém colocar ali, meio sem querer, a mão no meu joelho, só para me enganar que você é meu dono. Só para enganar o cara da mesa ao lado que você é meu dono. Eu vou deixar. Vai que um dia você acredita.”

“Quero alguém que cuide de mim. Que seja a casca da minha laranja, e não a metade. Porque ninguém é perfeito, mas toda parte que nos falta está em uma pessoa por aí. Quero alguém que sussurre segredos clichês no meu ouvido. É, clichês, você ouviu bem. Com serenatas, beijo na mão e tudo mais. Quero alguém que eu possa contar em todas as horas, que seja mais do que fiel. Mas também quero alguém que pise na bola. Alguém que consiga me quebrar e juntar todas as pecinhas de novo. Que possa me fazer, refazer, revirar e tornar tudo como estava. Alguém que deixe cicatrizes, mas que cure-as depois com um simples beijo. Quero alguém que me embriague com a dor e com o amor, que me faça transbordar de felicidade e tristeza ao mesmo tempo. Alguém que destrua todas as formas de sentimento que rolam pelo meu pensamento. Que mude por completo minha vida, mesmo que ainda continue sempre no mesmo lugar. Que me leve pra China, Inglaterra e Grécia só de me acompanhar a vista do pôr do sol. Alguém que grife as partes preferidas de um livro. Que leia por prazer, apenas por gostar de fazê-lo. Alguém que tenha um gosto musical bom, mesmo que diferente. Que não ligue pra aparência, e que não fique se olhando no espelho a cada cinco minutos. E um detalhe especial: tem que gostar de chá. Chá de amor, de fé, de poemas. Tem que ter minha foto na carteira, no quarto, e até no armário da faculdade. Tem que saber colocar atitude nas coisas, perseverar. E depois de tudo isso, tem que aprender a me aguentar. Mas quer saber? Que se dane essa coisa toda de sonho. Eu quero alguém que fique do meu lado pro que der e vier, sem me deixar para trás. Já é de bom tamanho.”

“Nem todos os dias eu tenho vontade de rir, de conversar e de levar tudo na brincadeira.”
Clarice Lispector
“Juro que pensei que era amado. Que fazia falta, que causava saudade, que amenizava a dor. Pensei que era importante para você, sabia? E quase acreditei nisso, quase mesmo. Faltou pouco. Você foi o meu quase. O meu quase amor, a minha quase certeza, a minha quase felicidade. Mas eu não vivo de “quase”, e você também não. A diferença é que eu lutei para o quase, virar tudo. Você fez o quase, se tornar nada.”

“O amor não morde. O amor não assusta. O amor não dói. Eu achava que as coisas eram diferentes, que amor dava frio na barriga, insônia, congestão nasal, que arrancava pedaço, que deixava a gente nas nuvens, que era um susto sem fim. Não, o amor não é nada disso. A paixão nos provoca uma série de sofrimentos. E traz aquela sensação de borboletas no estômago. A paixão é um comportamento adolescente, que se emburra e devolve os presentes, que bate porta, que se acha grande coisa, que quase mata no grito, que dura uma semana ou duas.”

Me deu vontade…
Vontade de ouvir aquela musica que eu disse que não voltaria a escutar pelas tristes e boas lembranças que ela me trazia de você, mas não deu certo. Bateu aquela nostalgia, aquela vontade ser sua de novo, aquela vontade que só você sacia, aquela vontade que eu não encontrei em mais ninguém. Aquele desejo que só você consegue satisfazer… E a música rolava, e com ela as lagrimas que também jurei nunca mais derramar por você.
“Um dia você vai agradecer as separações. Agradecer um por um dos rompimentos, uma por uma das fossas, uma por uma das portas fechadas em sua cara, uma por uma das infiltrações pelo pulmão. Um dia você vai se desculpar por sofrer, você se livrará dos ressentimentos e das vinganças. Um dia você se verá feliz por ter estado triste. Um dia entenderá que o destino realmente faz sentido, e que a falta de sentido ainda era caminho.”

“Queria poder te falar tudo que sinto, dizer o quanto você é importante para mim e mostrar o quanto a sua vida seria mais feliz se estivesse ao meu lado. É inevitável não pensar em você, querer saber se você esta bem. Talvez a vida tenha um outro plano pra gente, talvez ainda não seja a hora de ficarmos juntos, talvez nunca iremos ficar mais o que importa é te sentir e te amar. Penso em você várias vezes por dia e confesso que eu amo isso porque quando imagino nós dois juntos meu mundo fica mais feliz e me sinto alguém melhor. Queria ser o suficiente pra você, queria te arrancar sorrisos e suspiros, queria poder te fazer o homem mais feliz desse mundo, queria poder olhar nos seus olhos e dizer o quanto eu te amo, é uma pena os nossos destinos serem assim.”

E no fundo o amor que você
dá, é o amor que você quer receber.

“As pessoas falam sobre vida social como se fosse algum mérito ter milhares de amigos, mas nem percebem que a maioria das pessoas se isolam exatamente pra curar as feridas causadas pela sua socialidade exagerada.”

Eu me lembro da primeira vez que ouvi a sua voz. Você havia trocado seu número de celular e me ligou pra avisar, quando eu atendi perguntei quem era e você disse “Eu? Como assim? Sou o amor da sua vida.” e então rimos, eu já sabia quem era.

Você deixa um alfinete cair no chão do seu quarto e pensa “daqui a pouco eu pego”. Horas depois você se esquece, se distrai, e acaba pisando em cima, sente uma dor terrível. Você sabe que poderia ter evitado com um simples gesto, mas mesmo assim fica com ódio por ter se machucado de forma tão idiota. Você se recusa a acreditar que algo tão inofensivo no momento possa te fazer algum mal. Se esquece que pequenas coisas podem causar dores insuportáveis. Mas aprende que nem toda dor é física.

“Esta coisa terrível de não ter ninguém pra ouvir o meu grito. Esta coisa terrível de estar nesta ilha desde não sei quando. No começo eu esperava, que viesse alguém, um dia. Um avião, um navio, uma nave espacial. Não veio nada, não veio ninguém.”
Caio Fernando Abreu

“Daqui a 50 anos eu ainda vou saber seu nome e vou me lembrar de todas as vezes que você me fez sorrir.”

“Ando distante, distante de quem eu amo, distante até mesmo de mim. A nostalgia que me abraça no presente é a mesma que acaba com o meu futuro, sabendo que amanhã será mais um dia comum. Vou acordar sentindo saudade de coisas que nem aconteceram e levantar da minha cama querendo reviver momentos que ainda não chegaram. Se tudo na vida tem um propósito, então eu nasci fora do padrão.”

“A minha vontade era ficar, eu juro que era. Mesmo que não me pedisse e mesmo que não quisesse. Mas você me deu todos os motivos pra eu me afastar. Todos, repito.”

“Eu só quero que você entenda que eu não gosto quando você vai embora. Não gosto quando você esconde o que sente. Não gosto quando você não me dá a menor bola. Se eu falo que está tudo bem, quero que você pergunte de novo. E de novo. De vez em quando eu finjo que tudo está numa boa, mas tenho o meu lado fraco. Preciso de colo. De atenção. Se eu estou triste, quero você ao lado. Se eu estou brava, quero você ao lado. Se eu estou num dia bom, quero você ao lado. Se meu dia foi péssimo, quero você ao lado.”

“Não é o rosto, mas as expressões nele. Não é a voz, mas o que você diz. Não é a sua aparência neste corpo, mas as coisas que faz dentro dele. Você é bonita. Eu jamais conheci alguém como você.”
A Hospedeira. 

“Você faz faxina em seu escritório, em sua bolsa, em sua casa, mas não faz uma faxina em tudo o que perturba a sua alma. Você não desliga a sua mente, não gerencia seus pensamentos e vive fazendo velório antes de morto. O que significa isso? Significa sofrer por antecipação, viver problemas que ainda não ocorreram e que talvez nem ocorram.”
Augusto Cury.

“Fica feio se eu chorar?”

“É verdade que, um dia, todos vão te abandonar. Isso é uma certeza, mesmo que não por vontade própria, mas pelas garras da morte, te deixarão sozinho. E você vai ter que lidar com isso, seguindo em frente, procurando novos confortos. Tudo que restarão serão lembranças de pessoas que um dia estiveram do seu lado, seguraram a sua mão, limparam as suas lágrimas. As memórias ficam. Ficam, porque não foram feitas para serem substituídas. No seu coração, mesmo quando você olhar pro lado e não encontrar ninguém, uma voz vai sussurrar “confio em você”. Mesmo sem entender, você vai acreditar naquilo. Sem medo, sem dúvidas. Mesmo que as pessoas te abandonem, deixem de viver nesse mundo, no coração elas sempre viverão.”

“Gostava da maneira como ele a fazia se sentir. Gostava de ter percebido que ele a achava atraente, porém sem possuir nenhuma urgência ou desejo ansioso que os homens frequentemente demonstravam quando olhavam para ela. Pelo contrário, parecia feliz simplesmente pelo fato de estar ao lado dela, e, sem saber o motivo, era exatamente isso que precisava.”

“Agora eu falo menos, não por falta do que falar, mas por falta de quem ouvir.”

“Você precisa ter, acima de qualquer coisa, auto-confiança. Perca a hora, perca os sapatos, perca o ônibus, mas não perca a esperança em si mesmo. Duvide da pessoa que caminha ao seu lado, mas confie em você. Não deixe que o seu cérebro te sabote ou que o seu coração te passe a perna. Talvez, ao longo do tempo, você deixe de acreditar no amor, no felizes para sempre e no papai noel. Se desiluda do mundo perfeito, mas não deixe que ele arranque a sua capacidade de criar um. Em primeiro lugar, seja mais você. Se olhe no espelho e ame aquilo que ele reflete. Aceite e admire os seus defeitos, eles o difere dos demais. Não perca a fé, não se abata, não desista da batalha tão fácil assim. O caminho é muito longo e possui muitas curvas, muitos altos e baixos pra você querer parar no meio dele. O sol nasce e morre todos os dias, portanto, esse não é o seu fim. Coloque a mão no fogo pela única pessoa que realmente vale a pena: você mesmo. Quando todos desacreditarem de você, acredite mesmo assim. Gaste a última gota de suor, o ultimo suspiro de esperança e o último fôlego que possuir, mas dê a volta por cima e mostre a todos que eles estavam enganados. O que você quer ter, você pode ter. O que você quer fazer, você pode fazer. Quem você quer ser, você pode ser. Basta querer e merecer.”

(…) Crescido.

Forte. Saudável. Perfeito. Eu não tenho motivos para reclamar. A morbidez dessa felicidade de fantoches me abomina. É pior do que uma mentira, é uma mentira real. Eu queria ter pelo menos o indício de que já fui infeliz. Eu precisava de provas. Era mais que um desabafo, era a necessidade de manter-me vivo e lúcido. O meu desabafo era a voz que nunca escutei. A voz que imagino como é. A voz que sai do espelho, direto da boca do homem sem rosto e sem documento, que só tem passado e nada mais. Eu só queria alguém que sentasse ao meu lado e dissesse que tudo bem não ser perfeito por dentro. Tudo bem, não chore, vai passar. Você é só um garoto triste. Eu deixo você crescer. Eu faço os seus ossos pararem de doer. Eu deixo você sair dessa bolha de proteção do mundo e chorar a sua dor. Eu deixo você voltar no tempo por um segundo, fechar os olhos e dizer adeus ao seu primeiro amor. Eu quero que você se despeça, devagar, que aproveite os beijos na bochecha, que nade no riacho pela última vez. Quero que você leia o seu livro de dez páginas saboreando cada ilustração. Que você perdoe as baleias por serem tão grandes. Que você afaste os móveis da sala pela última vez. Tudo bem se você não quiser pular do ninho agora. Você nunca esteve preparado, mas eu sei que você se esforçou. Eu só quero alguém que diga que eu preciso cortar o cabelo. Mas ninguém diz nada. Todo mundo só concorda comigo quando eu digo que o que passou, passou. Que a vida continua, que o meu maior sonho é ser um advogado quando o meu maior sonho é só que alguém entenda o que eu preciso ser. E que por favor, me explique. Alguém que me sirva de apoio e que diga ao mundo que eu não quero falar com ninguém. Que eu não gosto de celular, bebida, festança ou simpatia. Que eu tenho vergonha de existir. Que eu sou só um menino ateu, sem graça, sem casa com direito ao Bolsa-Tristeza que foi deixado na porta de uma felicidade instantânea. (…) Alguém que seja para mim o simples prazer de ser alguém que não foi embora. Ainda. Alguém que não queira escutar a minha voz. Alguém que explique ao resto das pessoas que sou uma pessoa feita de restos e que choro por pouca coisa. Choro, por exemplo, pelo sorriso de um homem mudo. Que gosto de chocolate quente antes de dormir, que acho que a saudade tem os mais belos olhos do mundo, quero alguém que beba o oceano de canudo para que eu não tenha mais medo de gigantes. Alguém que me leve para chorar num mundo distante, porque não há mais cantos nesse mundo onde esteja abandonado o suficiente para ser o que eu sempre fui. Não há dor maior que se acumule no meu coração e faça aquela saudade poder ser transbordada até a última gota. Não há saudade maior do que a saudade que eu sinto dos olhos de saudade. Queria mais fios, mais sangue, mais sentimento de culpa, mais ressentimento, mais despedidas para que respire aliviado novamente. Para que eu consiga dormir uma noite sem lágrimas. Esse mundo perfeito dói. Esse mundo de mentira que não é de mentira dói profundamente. Eu queria ter forças para sugar a última gota de chocolate que sobrou na minha caneca azul preferida. Meu Deus, quando foi que eu perdi as minhas cores? Quando foi que meus textos encheram-se de interrogações? Aliás, quando é que eu comecei a escrever? Quando foi mesmo que eu comecei a ser feliz? Eu, honestamente, tenho muita coisa pra lembrar. Tenho que lembrar que sou perfeito, que sou só passado, que os exames de cardiologia deram em nada de novo. Eu sou um menino de muita sorte. Tenho que lembrar que sou um menino de muita sorte. Que não tenho motivos para ser o que sou. Triste, vazio, perdido. Mas quando a noite acaba, meu bem, quando a noite acaba e as quatro paredes do quarto adormecem, eu sempre acabo assim. Sozinho.


Dou colo para quem precisa, dou a mão para os amigos, seguro a onda de quem eu amo. E quem segura a minha? Olho para os lados, para baixo, para o alto (talvez procurando um sinal) e encontro o quê? Nada. Ninguém, a não ser aquele desconforto de saber que no final das contas nós temos somente nós mesmos.
— Clarissa Corrêa.    
Aí a pessoa pergunta o que aconteceu, e seus olhos enchem de lágrimas.